Marília, 16 de outubro de 2017
   Apresentação

   Classificados

  Ortopedia
Coluna
Joelho
Quadril
Ombro
Artroscopia

  Fisioterapia
Hidroterapia
Reab. Postural
Eletrotermoterapia

  Ortopedia
punho
cotovelo
osteoporose

3ª idade
Geral
odontologia
Terapia de Ondas de Choque
neurologia

3ª IDADE
3ª IDADE

Ortopedia - Ombro

ombro

OMBRO CONGELADO

O QUE É?

Também conhecida pelos médicos como capsulite adesiva, esta doença consiste em progressiva rigidez articular, com grande perda dos movimentos do ombro. É mais comum no sexo feminino e normalmente acomete pessoas entre 40 e 70 anos de idade. Seu aparecimento pode ser secundário a alguma lesão no ombro, como uma ruptura de tendão, ou um simples traumatismo nesta região. Também pode surgir após uma cirurgia no ombro. Em algumas situações a causa não pode ser determinada, mas existem vários fatores que estão associados a um risco aumentado do desenvolvimento da capsulite adesiva, como o diabetes, doenças cardíacas e um perfil psicológico característico com tendência a ansiedade e depressão.

SINAIS E SINTOMAS:

As principais queixas do paciente com ombro congelado são a perda de movimento e dor. Normalmente a evolução desta doença pode ser dividida em três fases. Inicialmente o principal sintoma é a dor forte, que piora com movimentação. Na segunda fase, ou fase de congelamento, ocorre diminuição progressiva dos movimentos e a rigidez torna-se mais incômoda que a dor. Na terceira fase, ou fase de descongelamento, o ombro vai progressivamente retornando ao seu normal. A duração da capsulite adesiva pode variar de 6 meses a 2 anos, sendo normalmente auto limitada.

COMO PROCEDER?

Na suspeita de ter um ombro congelado, ou seja, quando houver dor forte e/ou perda de movimento do ombro, procure um ortopedista.

TRATAMENTO:

O tratamento pode acelerar a recuperação da doença e amenizar os sintomas. Existem vários tipos de tratamento,que poderão ser escolhidos de acordo com a preferência e experiência de cada médico. Podem ser usados medicamentos analgésicos, antiinflamatórios ou até antidepressivos. Normalmente são feitas várias sessões de fisioterapia, que inicialmente têm o objetivo de retirar a dor e conforme esta vai cedendo trabalha-se a recuperação dos movimentos. Um método que tem mostrado grande eficácia é a realização de infiltrações de anestésico para bloqueio do nervo supra escapular. Em alguns poucos casos em que a doença se mostra muito resistente e incapacitante, pode estar indicada a realização de tratamento cirúrgico. Assim sendo, é realizada uma "liberação" da articulação, de preferência com o uso de artroscopia.

  Mande sua SUGESTÃO ou DÚVIDAS?
Nome:
E-mail:
Telefone:
Sugestão ou Dúvida:
  Parceiros Médicos


  Parceiros Comerciais
  Acessos: 64601
©2017 - www.FISIOCLÍNICA.com - Todos os direitos reservados - [ by WebIcone ]